ISSN 1807-1783                atualizado em 28 de agosto de 2014   


Editorial

Expediente

De Historiadores

Dos Alunos

Arqueologia

Perspectivas

Professores

Entrevistas

Reportagens

Artigos

Resenhas

Envio de Artigos

Eventos

Curtas


Nossos Links



Destaques
Fale Conosco
Cadastro
Newsletter


D. Pedro II e a Abolição da Escravidão: Uma Análise Historiográfica

A extinção da escravidão no Brasil, fora um processo longo e repleto de atores. Escravos, libertos, políticos, intelectuais, princesa, enfim, vários foram os responsáveis, direta ou indiretamente para que se levasse ao fim, política e legalmente, esse regime de trabalho. No entanto, qual fora o papel do Imperador D. Pedro II nesse processo? O monarca teve participação, seja direta ou indiretamente no fim do “regime servil” brasileiro? Diante deste cenário, o objetivo deste trabalho é verificar, em obras historiográficas sobre o tema e período (Brasil Império) o papel de D. Pedro II no processo de abolição da escravidão. leia mais

PROFESSORES

O Processo de Luta de Classes no “Manifesto do Partido Comunista”, de Karl Marx e Friederic Engels.

O objetivo deste artigo é analisar como se forjou o conceito de luta de classes, desenvolvido por Karl Marx e Friederich Engels, na obra “Manifesto do Partido Comunista”. A metodologia de análise empregada no trabalho foi de revisão bibliográfica, onde foi realizado estudo acerca da obra “Manifesto do Partido Comunista”, além da obra de Max Beer “História do Socialismo e das Lutas Sociais”, em sua quarta parte. Por fim, estudar socialismo e Comunismo tem sua importância ainda hoje, pois são reflexões que buscam construir sociedades mais justas e igualitárias, onde devemos evidenciar que as ideias de Marx e Engels empregadas em todos os seus princípios possibilitariam condições melhores aos homens em suas vidas e vivências histórico-sociais. leia mais

DOS ALUNOS

Do Paço à Passos, o Rio de Janeiro na Virada para o Século xx: A Pequena África, Reduto de Indesejáveis na Ótica da República Que Não Foi (e Nunca Será?)

Na passagem do regime monárquico para o Republicano, a capital federal de então, a cidade do Rio de janeiro passou por sérias modificações em todos os setores, administrativos, sociais, culturais e urbanísticos. Em 1904 o Rio de Janeiro viveu um conflito que pode ser comparado a uma guerra civil. Quebra-quebra, destruição de bondes, iluminação pública. Barricadas nas ruas para enfrentar a polícia. Esta, mesmo com a ajuda da Marinha e dos Bombeiros, teve dificuldade em conter o ímpeto popular. leia mais
Chamada para submissão de artigos
A Revista Estudos Amazônicos está aberta à submissão de artigos para o dossiê "Religiões e Religiosidades". leia mais

A Trajetória de Jean-Paul Sartre e o Terceiro Mundo.
O artigo estabelece as possíveis relações entre a trajetória de Jean-Paul Sartre (1905-1980) e o Terceiro Mundo e, em última instância, enseja reflexões e debates sobre o papel do intelectual e/ou das esquerdas partidárias brasileiras na sociedade à luz do conhecimento histórico. leia mais